C a r r e g a n d o . . .
Centro de
orquestração
de inovações
Lançado em 2020 pela WTT, o Centro de Orquestração de Inovações (COI) é uma das primeiras iniciativas no Brasil que busca colocar em prática o conceito de ciência orientada por missões no país. O COI orquestra colaborações científicas para criar soluções que respondem a grandes desafios do país.

O conceito do COI nasce no entendimento de que a ciência tem um papel fundamental na construção de um mundo melhor. O Brasil investe substancialmente em ciência e tecnologia, mas ainda há o grande desafio de direcionar esse vasto conhecimento para a solução dos grandes problemas que enfrentamos.

No âmbito de uma missão, o COI forma equipes científicas compostas por membros de distintas organizações e com competências complementares que trabalham juntos no desenvolvimento de tecnologias para resolver, de forma eficiente e sustentável, um desafio concreto. Com o COI, WTT também impulsiona um componente de advocacy em sua atuação e visa, para além de novas tecnologias, mudanças sistêmicas dentro do ambiente do fazer científico no Brasil.

Publicações Missão Agricultura Familiar

Centro de Orquestração de Inovações - Estratégias de Inovação Orientadas a Problemas

Baixar

De Pelotas a Boa Vista: Parcerias científicas para enfrentar a pandemia

Baixar

Guia metodológico formação de equipes extraordinárias para missões de desenvolvimento tecnológico

Baixar

Missões

Bioeconomia

WTT inaugura as atividades do COI através do olhar para a tecnologia de bioplástico.

Site especial

Através de bioeconomia, referimo-nos a uma economia capaz de usar a riqueza natural de maneira sustentável e gerar a conservação dos biomas, além de promover o bem-estar das populações locais através da geração de emprego e renda. Nessa perspectiva, não são apenas indústrias e negócios, mas comunidades – indígenas, quilombolas, agricultores familiares, entre outras – que geram receita, trabalho e renda, e se dedicam ao uso sustentável do solo e dos recursos naturais dos territórios. O Brasil possui grande potencial para o desenvolvimento da bioeconomia na Amazônia, não apenas devido à riqueza natural da região, mas também devido aos produtos e pesquisas científicas que já são produzidos no território e que podem ser alavancados com os devidos impulsos e apoios estratégicos.

Em Bioeconomia, WTT inaugura as atividades do COI através do olhar para a tecnologia de bioplástico. Constatado o protagonismo que o plástico tem no polo industrial da região de Manaus, evidenciou-se o potencial que o desenvolvimento de um novo material sustentável teria para entrar nessa dinâmica produtiva como uma solução inovadora para diversos problemas socioambientais.

Feito a partir de resíduos da castanha-do-Brasil, o projeto do desenvolvimento do biopláetico é fruto da orquestração da WTT de parceiros como Universidade Estadual do Amazonas (em colaboração com pesquisadores convidados), IDESAM e  Tutiplast, que atuam integradas nas diferentes etapas do projeto, desde o trabalho de campo com comunidades, até a pesquisa e o desenvolvimento do material, passando pela articulação com a indústria para a produção do bioplástico em escala.

A Missão Bioeconomia já contou com recursos da Fundação Konrad Adenauer e atualmente possui um arranjo com aportes via PPBIO e do FJBSA.

Publicações Missão Bioeconomia

Bioeconomia Amazonica - uma navegação pelas fronteiras cientificas e potenciais de inovação

Baixar

Futuros do Bioplástico têm raízes na Amazônia

Baixar

Agricultura Familiar

Foco em formas de contribuir para uma produção agrícola mais justa e sustentável

Site especial

Orientar esforços para inovações no âmbito da Agricultura Familiar é um ponto central para proteger a biodiversidade, garantir a segurança alimentar, estimular a geração de renda, combater a pobreza e fortalecer a adaptação e a mitigação dos efeitos da crise climática. Se, por um lado, há ecossistemas de inovação maduros e dinâmicos apoiando a produção agrícola, há um déficit democrático de inovação no campo da agricultura familiar que evidencia tanto a necessidade de apoio a essas práticas, quanto a oportunidade de desenvolvimento que essa lacuna oferece.

No âmbito da temática de Agricultura Familiar, WTT vem articulando esforços e equipes científicas na busca e consolidação de soluções que contribuam para uma produção agrícola mais justa, sustentável e igualitária.

Agroecologias do Brasil, por exemplo, consiste em estudos e análises detalhadas de territórios brasileiros com alto potencial de inovação para a transição agroecológica e identifica oportunidades de pesquisa científica para soluções inovadoras voltadas para a agroecologia.

Ciência, Tecnologia e Inovação no Semiárido Brasileiro foi um processo de ciência colaborativa orquestrado por WTT que resultou no impulso de tecnologias de reaproveitamento de água doméstica para a agricultura familiar na região do semiárido brasileiro e tecnologia de conservação de alimentos através de um biofilme aplicado em frutos que responde a problemas de transporte e refrigeração enfrentados pelos agricultores. Em 2023, WTT iniciou uma articulação para o desenvolvimento de uma nova tecnologia focada nos desafios enfrentados na cadeia dA castanha-da-Amazônia.

Os mapeamentos, diagnósticos e as equipes orientadas nessa missão contam com a participação e envolvimento de diversos atores, entre eles famílias de agricultores, pequenos produtores, lideranças locais e instituições como INSA, ASA, PATAC, além de Universidades e Parque Tecnológicos nas equipes científicas. A metodologia desses processos valoriza sempre o diálogo entre as perspectivas populares e acadêmicas com a finalidade de fomentar uma construção diversa e coletiva de conhecimento.

Publicações Missão Agricultura Familiar

Agroecologias do Brasil

Baixar

Ciência Tecnologia e Inovação com o Semiárido Brasileiro

Baixar