C a r r e g a n d o . . .

01/02/2024

Primeira remessa de fibra de ouriço da castanha vai das comunidades de Lábrea à indústria de Manaus

De Lábrea a Manaus, no Amazonas, a primeira remessa de 500kg de fibra de ouriço da castanha-do-Brasil percorreu uma longa jornada de 5 dias pelo Rio Purus até chegar em seu destino final para se tornar matéria essencial do bioplástico. Mais duas remessas de 500kg estão previstas para envio entre fevereiro e março.

O projeto Bioplástico vai ganhando contornos essenciais com esse primeiro acordo comercial concreto que possibilita à indústria uma alternativa importante a materiais de origem totalmente petroquímica e para impactar positivamente as comunidades amazônidas envolvidas no processo de coleta e beneficiamento inicial do produto.

A iniciativa é liderada pela WTT, com suporte financeiro do FJBSA e do PPBIO, política pública da Suframa, coordenada pelo Idesam. A UEA, com pesquisadores convidados de outras universidades, está à frente da parte de P&D do projeto, enquanto a Tutiplast é a parceira comercial do projeto. ASPACS realiza o trabalho junto as comunidades envolvidas na coleta do ouriço.

Grande projeto de inovação colaborativa de impacto que trilha um caminho de êxito até o momento!