C a r r e g a n d o . . .

16/04/2024

Transformação dos sistemas alimentares no centro das discussões sobre ciência, tecnologia e inovação

No dia 15 de abril, teve início a Conferência Livre “Ciência, Tecnologia e Inovação para a Transição Ecológica dos Sistemas Agroalimentares”, coorganizada por WTT, Embrapa, Associação Brasileira de Agroecologia e Ministérios da Agricultura e Pecuária, Fazenda, Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Ciência, Tecnologia e Inovação e Educação.

Durante o evento, desafios relacionados à soberania e à segurança alimentar, agravados pelas mudanças climáticas, pelo desmatamento e pelas desigualdades, foram destacados como pontos cruciais para a formulação de propostas para a 5ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CNCTI) –  objetivo das atividades livres.

Os debates do primeiro dia ocorreram na sede da Embrapa, em Brasília, e foram acompanhados por mais de 800 participantes online. Gaston Kremer, gerente de programas de WTT, comentou sobre o debate inicial, que abordou os processos de transição e transformação tecnológica em relação à agroecologia e a importância de repensar o Sistema Nacional de Inovação. “Foi uma discussão teórica, mas também é importante para repensarmos o SNI”.

Em seguida, foram discutidas as contribuições das redes, cooperativas e organizações da sociedade civil para as políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação. Foram apresentadas experiências desde os Núcleos de Estudos em Agroecologia por Irene Maria Cardoso (ABA), até o relato inspirador sobre a experiência das mulheres com inovação no Polo da Borborema (Paraíba), por Roselita Vitor de Albuquerque, coordenadora do Polo e assentada da reforma agrária. A participação de agricultoras e agricultores e suas respectivas experiências com inovação em seus territórios mostraram-se fundamentais para as discussões da conferência.

     

Em seguida, houve uma discussão com representantes do governo e institutos de ciência e tecnologia sobre as mudanças necessárias para melhorar a relção com a perspectiva da transição agroecológica. O dia terminou com os movimentos sociais, como a Contag e a ABA, fazendo uma recapitulação das discussões e elaborando recomendações para dar continuidade aos debates.

A Conferência Livre está alinhada à iniciativa “Transição agroecológica como agenda estratégica para a ciência nacional“, liderada pela WTT com o apoio do Instituto Ibirapitanga e que consiste na continuidade de iniciativas como a Agroecologias do Brasil – um mapeamento de territórios de inovação agroecológica no Brasil e seus respectivos desafios.

Desde a fundação do Centro de Orquestração de Inovações – iniciativa da WTT apoiada pelo iCS que trabalha sob a perspectiva da inovação orientada por missões para mapear desafios, formar equipes científicas especiais e desenvolver soluções tecnológicas com base na colaboração e direcionalidade -, a Agricultura Familiar vem sendo trabalhada pela WTT no contexto do desenvolvimento sustentável de inovações. Esse pilar do COI que incentiva e busca uma nova forma de agricultura também é apoiado pela Porticus.