C a r r e g a n d o . . .

09/04/2024

WTT e a 5ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação

A World-Transforming Technologies (WTT) é uma organização sem fins lucrativos que atua há 12 anos com inovação colaborativa de impacto. Nosso objetivo é potencializar, em colaborações com parceiros governamentais e não-governamentais, o desenvolvimento de inovações tecnológicas, sociais e de modelos de negócios que ofereçam respostas eficazes a desafios socioambientais. Ao longo da nossa trajetória, atuamos em diferentes escalas, desde projetos comunitários e empreendimentos de deeptech até a formulação de políticas públicas. A partir de 2020, com o lançamento do Centro de Orquestração de Inovações, ampliamos nossa atuação com a abordagem de “Inovação Orientada por Missões”, o que vem nos possibilitando oferecer análises e aportes ao Sistema de CT&I Brasileiro e suas políticas públicas relacionadas.

O ano de 2024 nos coloca a oportunidade de continuar construindo espaços de diálogo sobre inovação de impacto, em especial com a mobilização em torno da 5ª Conferência Nacional de CT&I. Além de trazer para a agenda de CT&I uma diversidade de atores, esse grande movimento nacional está possibilitando a visibilidade de temas e políticas que, nos últimos anos, tiveram sua relevância reduzida. Nos últimos meses, reuniões temáticas, conferências regionais, conferências estaduais e municipais, e conferências livres vêm acontecendo em todo o país, buscando formular e consolidar aportes para a Estratégia Nacional de CT&I dos próximos 10 anos.

Estruturar de forma colaborativa uma política pública de longo prazo para a Ciência Brasileira não é uma tarefa fácil. Elencamos três aspectos críticos dessa estruturação: (i) histórico protagonismo da comunidade científica na definição das agendas de pesquisa, com baixa abertura para participação ativa de outros atores (ii) alta complexidade da legislação e instrumentos jurídicos e burocráticos das atividades de CT&I, criando barreiras de linguagem e acesso à informação e (iii) baixo interesse do setor privado em PD&I, característico da condição de país latino-americano. São três elementos que sublinham o desafio de articulação e colaboração do Sistema de CT&I com atores externos e internos.

As três conferências que correalizaremos têm como objetivo convidar para o diálogo sobre seguintes perguntas norteadoras, buscando construir estratégias e caminhos para a superação desses desafios:

Dia 10 de abril – Sociobiodiversidade da Amazônia e a Política de CT&I: desafios e oportunidades no horizonte de 2030”:

– Como fortalecer a participação de povos e comunidades tradicionais da Amazônia no debate da política científica e tecnológica brasileira?

– Quais são as possibilidades de convergência entre o programa estruturante “Pró-Amazônia” do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e as outras políticas públicas em andamento do Ministério do Meio Ambiente e Ministério do Desenvolvimento Agrário?

Dia 15 de abril – “CT&I para Transformação Ecológica nos Sistemas Agroalimentares”:

– Como direcionar as ações de PD&I para as transições agroecológicas e a inclusão socioprodutiva?

– Como as experiências das redes, cooperativas e organizações da sociedade civil podem contribuir com as políticas de CT&I?

Dia 16 de abril – “Inovação Orientada por Missões: contribuições para construção da nova política tecnológica e de inovação brasileira”:

– Quais as vantagens da abordagem de missões para alavancar a participação de grupos e populações sub-representadas no Sistema Nacional de CT&I?

– Como definir um conjunto de objetivos ambiciosos, específicos e conectados com os desafios do desenvolvimento sustentável do país? Como promover colaboração interministerial e intersetorial na formulação da política de CT&I? Buscará dialogar com os quatro eixos estruturantes da Política Nacional:

 

O conjunto das três conferências direcionará nossas contribuições para os quatro eixos da Estratégia Nacional de CT&I:

I – Recuperação, expansão e consolidação do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Em especial na integração das ações dos atores do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação nos seus variados níveis e esferas de atuação e na redução das assimetrias regionais no Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação;

II – Reindustrialização em novas bases e apoio à inovação nas empresas.

Com foco na colaboração entre instituições de ciência, tecnologia e inovação e empresas em projetos inovadores, incluindo apoio por meio de parques tecnológicos.

III – Ciência, tecnologia e inovação para programas e projetos estratégicos nacionais.

Na redução de vulnerabilidades em cadeias produtivas estratégicas, como nas áreas da saúde, energia, alimentos, minerais e sistemas de informação e comunicação; e no desenvolvimento sustentável e integrado da região Amazônica.

IV – Ciência, tecnologia e inovação para o desenvolvimento social.

Especialmente na ampliação do apoio da ciência para formulação, execução, monitoramento e avaliação de políticas públicas; no desenvolvimento de tecnologias sociais e assistivas; no apoio a arranjos produtivos locais articulados com institutos e centros vocacionais tecnológicos; e na valorização e apoio a populações historicamente sub-representadas no Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação;

 

Sabemos que essas Conferências Livres são apenas passos iniciais na construção de uma nova política de CT&I construída com ampla participação social, com objetivos e metas claros, e que dialogue com os desafios estratégicos do país. Ainda assim, se trata de uma oportunidade histórica para estabelecer as bases de uma política de CT&I que caminhe lado a lado com as com as demandas de amplos espectros da sociedade brasileira.